Yorranna Oliveira

Achei a imagem aí de cima pesquisando no Google. E ela define perfeitamente um pouco do que eu sou e da proposta do blog: tem de tudo um pouco, e um pouco de quase tudo o que gosto. Aqui você vai encontrar sempre um papo sobre música, cinema, comunicação, literatura, jornalismo, meio ambiente, tecnologia e qualquer outra coisa capaz de me despertar algo e a vontade de compartilhar com vocês. Entrem e divirtam-se!

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Uma lista dos filmes da década

O convite do amigo Adison chegou semana passada. Fazer uma lista dos dez melhores filmes da década e postar no meu blog.Ele faria também a dele -veja aqui. Ideia que seria concretizada em seguida pelo estudante de Comunicação Social, Eraldo Paulino - confira os dez melhores na opinião dele aqui. Resumir dez anos de cinema em uma lista não é convite, é desafio. Nessas horas o que vem à memória sempre são os filmes que te marcam. Se te marcam é porque são bons. A lista que você, caro leitor, vai ver nasceu assim, de lembranças, de marcas, de toques. Nasceu do sentimento, da minha relação com cada filme, do meu estado de espírito quando vi cada um desses filmes, da minha carga cultural pra fazer comparações, estabelecer relações e entender a trama construída dentro das próprias tramas. Não se trata de uma lista definitiva, listas jamais significam isso. Mas listas abrem possibilidades de discussão e descobertas. E isso é sempre válido. Sempre.

10 – O labirinto de fauno (2006)
Um dos filmes sobre o mundo imaginário e o mundo real mais fantásticos que já vi. É conto de fadas sem clichês e pieguice, real na medida do possível, encantado na medida certa.

9 – Árido Movie (2005)
Um dos poucos filmes brasileiros que desestabiliza a forma acomodada de fazer cinema no Brasil. Água, religião, drogas, cinema, amizade, família. Romance, aventura, humor, drama. Tudo junto e misturado em atuações pra lá de bacanas. Selton Mello está hilário. A cena dos amigos correndo e pulando livres, leves, soltos e alegres numa plantação de maconha é impagável. Um road-movie obrigatório em qualquer estante.

8- Closer - Perto Demais (2004)
A primeira coisa que te pega de jeito nesse filme é a trilha sonora. Pode ter certeza, ela vai te arrebatar por toda uma vida. Você vai lembrar dela naqueles momentos de dor e fossa. Mas Closer não se resume à música, é que ela é tão perfeita na trama, tão bem encaixada que vira protagonista também. Fundamental.

7 – Crash - No Limite
Quando a vida não te dá uma porrada, a arte assume a tarefa. Crash é assim: uma porrada cinematográfica na nossa visão acomodada e pré-estabelecida. Depois desse filme, seu olhar dificilmente será igual. O mundo do lado de fora da nossa casa terá se transformado.

6 - Juno (2007)
Divertido, real, colorido, bonito. Juno é isso e bem mais. É um filme sobre conflitos, dúvidas e escolhas que permeiam a vida de qualquer adolescente desde que o cinema descobriu estes jovens. De certezas típicas dessa idade à gravidez na adolescência e aborto, Juno teria tudo pra ser um filme repleto de clichês do início ao fim, como é comum em obras que abordam esse tipo de assunto. Mas Juno percorre um caminho bem diferente e por isso é tão bom, numa trilha sonora muito bem escolhida e na atuação impecável de Ellen Page, eternamente Juno.

5 – Fale com ela (2002)
Não faria uma lista sem colocar um filme de Pedro Almodóvar, uma dos grandes nomes do cinema contemporâneo. “Fale com ela” merece o quinto lugar pela s histórias improváveis que se entrelaçam, tão habilmente conduzidas pelo mestre, pela trilha sonora com música de Caetano Veloso em destaque e muito, muito mais. Se você ainda não viu, assista.

4- Piaf – Um hino ao amor(2007)
Cinebiografia de uma das vozes mais belas da música mundial. Mostra a vida conturbada da diva francesa que sucumbiu em nome do amor. Marion Cotillard, vencedora do Oscar de melhor atriz em 2009, encarna essa Piaf que amava, numa atuação digna das grandes divas. “Um dos mais impressionantes mergulhos de uma artista no corpo e na alma de outra artista que jamais vi no cinema”, muito bem definiu o jornal The New York Times.

3- Bastardos Inglórios (2009)
Não é o melhor filme de Tarantino, mas me fez achar o Brad Pitt um bom ator e não imaginar outro fazendo o papel canastrão. As cenas absurdamente violentas continuam, e divertidas também, o banho de sangue então. E a trilha sonora sempre escolhida a dedo, por Tarantino, encaixa tão perfeitamente com as cenas da película. Bastardos Inglórios é a visão de um período quase surreal da história mundial: o nazismo.

2- Tropa de Elite (2007)
"Wagner Moura dá vida ao Capitão Nascimento de tal maneira que é impossível não admirar o trabalho do ator, embora seu personagem seja quase um animal de caça. Sua atuação é inquestionavelmente impressionante, ganhando força até mesmo quando ele pontua a narração com um “amigo” (repetido várias vezes) em finais de frase. Os personagens secundários também brilham, mas é o Capitão Nascimento que coloca ordem na casa auxiliado pelo roteiro esperto e pela edição vertiginosa, duas grandes qualidades de seu filme primo, “Cidade de Deus”, que “emprestou” Daniel Rezende (edição) e Bráulio Mantovani (que assina o roteiro a seis mãos com José Padilha e Rodrigo Pimentel).

'Tropa de Elite', intenso enquanto cinema, instável como mensagem, um quase grande filme", Marcelo Costa, Scream e Yell. Leia mais aqui:">">

1-O segredo de seus olhos (2009)
Escrevo aqui o que já disse em uma postagem sobre o filme. Ele arrebata e faz você se apaixonar. Aliás, a essência de “O Segredo dos seus Olhos” gira em torno da paixão, de nossas paixões. Os membros da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas também se renderam ao thriler policial, dirigido por Juan José Campanella, com roteiro baseado no livro “La Pregunta de Sus Ojos”, de Eduardo Sacheri. Afinal, o elevaram, em 2010, à categoria de melhor filme estrangeiro.

E qual o segredo do diretor Juan Campanella para conquistar a estatueta dourada? Uma boa história. Ricardo Darín, inclusive, deu esta mesma resposta em uma entrevista coletiva. “Todo mundo gosta de ouvir uma boa história”, disse. Juan a entrelaça em tramas paralelas; atuações no ritmo certo. Coloca doses de suspense, ação (fique atento à cena no Estádio Huracán, com um plano - sequência de quase seis minutos - o que o diretor faz com a câmera impreesiona e tira o fôlego). De quebra, Campanella temperou tudo com drama, romance e humor – Guilhermo rende cenas impagáveis e dá o tom de leveza ao enredo. E graças a ele, também, desvendamos o segredo do assassino. “Podemos mudar tudo na vida, menos uma paixão”.

E o desfecho do filme surpreende.

Um comentário:

Adison César Ferreira disse...

Na legenda para postar comentários no seu blog está escrito "Não use palavras de baixo calão, porque vetarei", Mas não tenho como omitir que a primeira palavra que veio a minha cabeça quando terminei de lê a sua lista foi "Caraaaalhoo", assim mesmo com ênfase na segunda sílaba. Gerado de forma tão espontânea e casta para definir o alto nível desta lista. Confesso que alguns filmes citados eu ainda não vi, apesar de já ter lido muito sobre eles como Piaf e Crash, mais prometo que vou fazer isso o mais rápido possível. No resto, sem surpresas. Apostava minha modesta biblioteca que você iria colocar "O Segredo de Seus Olhos" no topo. Aliás, não combinamos nada e esse mesmo filme esteve nas três listas do desafio. No demais, espero que tenha sido bom pra você. E que venham outros desafios.