Yorranna Oliveira

Achei a imagem aí de cima pesquisando no Google. E ela define perfeitamente um pouco do que eu sou e da proposta do blog: tem de tudo um pouco, e um pouco de quase tudo o que gosto. Aqui você vai encontrar sempre um papo sobre música, cinema, comunicação, literatura, jornalismo, meio ambiente, tecnologia e qualquer outra coisa capaz de me despertar algo e a vontade de compartilhar com vocês. Entrem e divirtam-se!

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Irreverência, novidades e show inacabado na 4ª Noite Som do Norte

Quando se faz uma festa de aniversário, a gente chama os amigos e conhecidos pra comemorar, escolhe uma trilha sonora que agrade o maior número possível de pessoas, descola um local seguro, de fácil acesso e onde os convidados fiquem à vontade para pirar. Afinal, você quer que eles se divirtam tanto quanto você.


No mês em que o blog Som do Norte completa um ano e meio de vida, o editor do espaço e promotor das Noites Som do Norte, o jornalista cultural Fabio Gomes, novamente resolveu celebrar com todo mundo. Em 2010, ele realizou três festas para marcar cada nova etapa do blog, criado em agosto de 2009 para divulgar a música feita por aqui, na parte de cima do mapa político, econômico e cultural do Brasil. E as festas traziam sempre bandas convidadas.


O local escolhido para a primeira comemoração de 2011 do blog foi o Biriteiro Bar, uma casa de show recente, antecedida por muitos nomes e caras, como as inúmeras que nascem e morrem todo ano na Avenida Senador Lemos. A casa faz vizinhança com a LUX, boate frequentada, principalmente, pelo público gay da cidade. Do outro lado da rua, dá pra ver o restaurante El Bandolero, a antiga boate Casablanca - renascida como Prime, e hoje transformada em Vogue. O Biriteiro tem três ambientes e mesas espalhadas por todos eles, além de muito espaço para dançar. E isso teve de sobra, já que pouca gente apareceu na festa.


Cinco bandas foram selecionadas para mostrar trabalhos nas Noites de 2011: Mostarda na Lagarta, Duallis, Igrejas Bar, Monovox e Objecto Quase. Cada uma indicou outra, do mesmo estilo, para se apresentar na mesma noite. Na 4ª Noite Som do Norte, realizada no último sábado (26) em Belém do Pará, a música ficou por conta das bandas Mostarda na Lagarta e Paris Rock, além do cantor Pablo Belusso e da DJ Mandy, do Coletivo Peggy.


Mandy deu sonoridade punk, indie, rockabilly, surf music e grunge ao evento com o set que preparou. A Mostarda foi a primeira banda a se apresentar logo após à DJ. A Mostarda na Lagarta foi selecionada para o Grito Rock Belém 2011 (19 de março no Café com Arte) e contabiliza participações no CCAA Fest (2009) e no V Festival Se Rasgum (2010). Pouco depois de 1h da manhã, o grupo entrou no palco com aquele jeito ‘Mamonas Assassinas’ de ser. Mas os ‘Mamonas’ não faziam versões nem covers de tecnobregas. E ver o vocalista cantando “Ontem à noite eu tive um sonho/ não queria acordar/ sonhei com você meu nego, o meu o corpo a beijar” ou “Sou é da galera da golada/traz um balde de gelada que a festa vai rolar...” - já vale a noite.


Eles seguem a tendência que já ganhou forma na cidade: aceitar que o tecnobrega existe além da periferia e das fronteiras territoriais. A banda tocou ainda projetos de hits, como o single “Mosqueiro” e outras músicas do CD-Demo “Mostarda na Lagarta”, e do disco virtual com lançamento em breve.


Festas são para se divertir e ver quem você convida no mesmo clima. Da parte dos garotos da Mostarda, a diversão estava garantida. Aliás, com um nome assim não se pode esperar muita seriedade. Em uma das mesas do Biriteiro, a estudante de medicina Suellem Barbosa, de 20 anos, abria o riso entre uma canção e outra. “Conheço a banda há um ano. Conheci em um show do Em pé na rede (Grupo de Stand – Up Comedy de Belém), o Mostarda tocou logo depois, aí gostei de cara”, diz.


Direto de Rondon do Pará, o cantor e compositor Pablo Belusso lançou o CD “Poema Urbano”, o primeiro da carreira. Pablo fez um show para os casais apaixonados, com músicas autorais e covers de Creedance e Maná. Labios Compartidos, do Maná, arrancou aplausos dos poucos que restaram no Biriteiro Bar e assistiam ao desempenho de Belusso, o primeiro dele em Belém. A música de trabalho “Saía da Daqui’ já toca nas rádios locais e em emissoras do sudoeste paraense, além do Paraná. O CD pode ser comprado nas lojas Ná Figueredo.


E para encerrar a noite, o pop, o rock e o samba de branco (como bem definiu um jornalista local) da Paris Rock - indicada pela Mostarda para participar da festa. Era a terceira apresentação da banda numa Noite Som do Norte. Maurício Maumau, nos vocais, ainda insistia naquela forma ‘Los Hermanos’ nada original de cantar. Por que aquela voz de quem levou um pé na bunda e tomou todas para esquecer os problemas?


A Paris Rock mal começou a tocar - cerca de 20 minutos - e parou. De repente. Sem muitas explicações dos integrantes, deixando o público (mesmo que pequeno) sem entender nada.


A próxima Noite Som do Norte será no dia 24 de março no Café com Arte , em Belém , e o promotor do evento negocia uma atração especial para movimentar a cidade. “A gente não pode divulgar ainda. Mas posso dizer que, se der certo, vai ser uma agradável surpresa”, adianta Fabio Gomes.

2 comentários:

Suka ;* disse...

yorrana, muito legal teu blog .. e a crítica do mostarda tá massa tbm ! os meninos são ótimos, e o toque de tecnobrega que eles dão ao rock deles é totalmente demais .. me faz rir a beça mesmo. bjs e sucesso. ;)

Yorranna Oliveira disse...

Obrigada. Os meninos são bons...Claro que eles precisam melhorar em muitos aspectos, como definir o próprio estilo...mas acredito que a estrada e o tempo vão ajudá-los nessa caminhada. Eles só não pode perder o frescor e a empolgação que t~em com a música.